quinta-feira, 10 de novembro de 2011

TV Bunda


O número de pessoas que não gostam de uma boa bunda, é proporcionalmente igual ao número de pessoas que estão lendo esse texto sem olhar pro monitor. Não existe! A não ser que já tenham inventado uma tela de monitor em Braile. 
Antigamente, para uma criança ver uma bunda era o maior sacrifício. Ela precisava de esperteza, cautela, dinheiro ou um espelho. Agora elas só precisam de um controle remoto. É bunda em tudo quanto é canal, em qualquer dia e horário. Só falta ter um programa de Proctologia (Para quem não sabe, Proctologia é um ramo da medicina que trata do intestino, do reto e do ânus. É daí que vem o famoso Proctologista. Conhecem? Se ainda não conhecem, não tem problema. Depois do exame de próstata vocês nunca mais vão esquecer dele).

Citem um programa de auditório que não tem mulher bonita exibindo o corpo ou balançando os fundilhos. Só me lembro do Altas Horas, com Serginho Groisman (Se vocês conhecerem outros, façam um comentário informando). No Programa de Faustão e de Silvio Santos, ficam todas só dançando com coreografias bem comportadas. Mas o bom comportamento fica só na coreografia. As roupas também mostram muito do corpo. Infelizmente, as pessoas estão tão acostumadas a ver pouca roupa na televisão que, com certeza, vão me condenar por falar mal das dançarinas do Faustão.
No programa "O Melhor do Brasil", muito bem apresentado por Rodrigo Faro, as assistentes de palco parecem que foram feitas a mão. As enormes, redondas e empinadas bundas parecem querer fugir dos vestidinhos. É Bunda pra ninguém botar defeito. É realmente "A Melhor do Brasil".
Victoria Villarim, 19 anos, assitente de palco do " O Melhor do Brasil"
É ou não é o Melhor do Brasil?
Nem o próprio Marcelo Taz
          achou um fio de cabelo.
E nos programas de humor? No "A Praça é Nossa" e no "Zorra Total" só tem mulherão. Achar uma figurante feia nesses programas é como procurar um fio de cabelo na cabeça de Marcelo Taz. Mulher feia só protagoniza programa de humor. Se você ver uma, pode ter certeza que ela está utilizando da própria feiúra pra te fazer rir.
O Brasileiro está tão habituado a ver mulherão nos canais que não percebem a carga machista que está impregnada nessa maneira fútil de fazer televisão. O interessante é que os programas de auditório tradicionais de Domingo como "Domingão do Faustão", "Programa do Gugu", e "Domingo Legal" tem as mulheres como a grande maioria de seus telespectadores e, mesmo assim, só aparece bunda feminina. É como se existissem apenas homens no sofá de casa assistindo televisão (Antes que vocês pensem errado, eu não estou querendo dizer com isso que deveríamos ver bunda de homem na TV).
Desde os primórdios da civilização moderna que as pessoas perdem seu tempo dando atenção a um monte de besteira (Não é o caso do meu blog). Com a popularização da TV isso ficou mais evidente.
Depois de um tempo, a falta de criatividade de quem faz a televisão brasileira acarretou na conhecida "Síndrome da falta de Ibope" que até hoje apavora as emissoras de TV. É aí que começam aparecer pessoas como Chacrinha, um dos propulsores da bunda na TV. Ele foi um dos que começou com tudo isso que vocês estão vendo hoje aí. Não sei porque que um cara desse é tão homenageado. Ele atingiu uma audiência absurda com a apelação das "Chacretes", trouxe muito dinheiro de patrocinadores para emissora e revelou mulheres como Fernanda Terremoto, Fátima Boa Viagem e, principalmente Rita Cadillac, que saiu pelo Brasil mostrando a bunda à quem quisesse beijar. Quanto talento!
Chacrinha é, na minha opinião, o primeiro grande cafetão animador da televisão brasileira.
As Chacretes sempre se vestiam de forma composta!
Não é porque todo mundo gosta de bunda, que temos de banalizar. A graça é justamente o fato dela estar escondida, por debaixo de panos, fazendo nossa imaginação trabalhar e nos deixando ansiosos para sua aparição. Ela tem que aparecer, óbvio. Mas não para todo mundo ver. Não precisamos despertar a sexualidade nas crianças. Deixemos que esse interesse apareça naturalmente.

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Em dia de chuva

Quem vê essa imagem já sabe que
isso é só mais um dia de chuva na
capital baiana.

Quem acha que água no mundo está acabando não mora em Salvador. Hoje é dia de chuva. Dia de encher o saco da CODESAL. Dia dos helicópteros das emissoras de TV trabalharem. Eles passam boa parte do programa dando as poças de água os seus 15 minutos de fama. Dia de assistir matérias jornalísticas onde o pobre diz que perdeu tudo, enquanto ouvimos como tema musical "Firme e Forte" do Psirico. 

Êêêêê!! Não vou pra escola hoje!
Dia de postar no Blog porque, mesmo tendo compromissos, com essa chuva eu não vou poder cumprir nenhum, podendo ficar em casa e experimentar o delicioso sabor do ócio. Dia também em que os estudantes que não gostam de ir pra escola demonstram uma preocupação fora do comum em evitar a propagação do vírus da gripe. Dia de esculhambar a TRANSALVADOR e de ceder espaço num trânsito engarrafado para a ambulância da SAMU passar. 

Estrada interditada no bairro de São Caetano, em Salvador, faz do trânsito da região um caos.

Dia de postar nas redes sociais que a culpa disso tudo é da falta de planejamento dos governos anteriores e não dá sequer uma sugestão para resolver o problema. Dia em que muitos ficam debaixo do lençol o dia todo, sentindo tédio e monotonia enquanto detonam a TV aberta por não passar nada que preste. É também dia em que, com a desculpa do frio, o povo toma um banho só, e olhe lá!
Ai, minha chapinha!
Hoje é dia dos camelôs mostrarem sua espantosa eficiência. Os CDs e DVDs piratas, os óculos de sol feitos de plástico e os eletro-eletrônicos made in Paraguay inacreditavelmente desaparecem e todos, ao mesmo tempo, passam a vender guarda-chuvas. Onde vão parar as piratarias e de onde vem tanto guarda-chuva ainda é um mistério a ser desvendado.
Hoje é dia de ver as mulheres correndo pra debaixo das marquises para proteger os seus cabelos de verão.
Dia de encharcar o sapato e a calça que cola no corpo, ficando P da vida pela incapacidade do guarda-chuva de te proteger da cintura pra baixo.
Pedalinho: Meio de transporte que
promete se popularizar em Salvador.
Hoje é dia de lamentar a situação da nossa cidade sob a chuva. Se a Maratona de Farol a Farol fosse hoje, Wanderley Cordeiro ficaria pra trás e a briga seria entre Cesar Cielo e Thiago Pereira. Usando o pedalinho, você vai do Dique do Tororó à qualquer ponto da cidade.
Hoje é dia dos comerciantes lamentarem o baixo movimento em seus estabelecimentos. Ninguém sai pra comprar nada com medo da chuva. Pelo menos agora, agente pode fazer as compras Online e sem ter problemas para serem entregues em dia de chuva. Agora temos o "Submarino.com".
Hoje é dia de chuva e de parabenizar João Henrique. Ele cumpriu o prometido, ao povo mais humilde, por vários políticos a várias eleições: Hoje vai ter água e esgoto na casa de todo mundo. E de quebra, ele ainda ajudou a diminuir um pouco o desequilíbrio socioeconômico da cidade acabando com a supervalorização dos imóveis da orla, porque hoje a casa do pobre também vai ter vista pro mar.
Barsileiro é assim: Humor até debaixo d'água. Mas ele deve estar ligando pra CODESAL.

Se eu chegasse aqui e falasse sobre todos os problemas de Salvador relacionados a chuva, eu estaria sendo chato, repetitivo e fazendo o que todo mundo tá fazendo hoje: Metendo o pau no governo! Eu preferi fazer um texto que está mais de acordo com a personalidade do Brasileiro, que está sempre rindo da própria desgraça.
Deus que ajude a cidade de São Salvador!


GOSTOU DA POSTAGEM? ENTÃO TORNE-SE UM SEGUIDOR!
Em "Seguidores", embaixo de "Total de Visualizações de Página", clique em 
"Participar deste site". 

Google+ Followers

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...