quinta-feira, 28 de julho de 2011

Pagode na escola?

Quem costuma ler esse blog, sabe que algumas músicas de pagode tiveram suas letras analisadas criticamente, foram denunciadas nas postagens e debatidas nos comentários. Sabe-se também que em muitos posts são feitas tentativas de conscientização para um pensamento mais crítico por parte da sociedade, principalmente os jovens. Enquanto tem gente lutando para que nós possamos acabar com a baixaria imposta pela parte ruim do pagode baiano, existe um programa de televisão que está levando o show com essas músicas para dentro das escolas.

É brincadeira uma coisa dessas? Me mate logo de desgosto, porque aí vocês vão estar matando um só, ao invés de matar o discernimento de aproximadamente 1300 jovens que estudam na escola Presciliano Silva, no bairro Caminho de Areia, em Salvador. O diretor da escola não tem vergonha de aparecer na televisão dizendo que é um prazer receber no seu estabelecimento de ensino aquele programa. Talvez eu tenha sido injusto. Porque ele deveria ter vergonha? Só porque ele ligou para trazer uma banda com letras e coreografias de muito apelo sexual para ser apreciadas por adolescentes e crianças, da quinta a oitava série, de sua própria escola?
Eu sei que é forte na cultura brasileira e mais forte ainda na cultura baiana, as coreografias que fazem o povo mexer a bunda (eu poderia dizer rebolar, mas mexer a bunda causa mais impacto). Mas daí uma aluna fardada, dentro da escola e, de costas pra câmera, aparecer numa suposta tentativa de dizer sim e não com a bunda na televisão, é o ápice da mediocridade cultural e da total inversão de valores. Nessa parte teve a até um jogo de câmera sobre a imagem da bunda da garota. Antigamente, antes da aula nas escolas públicas, os estudantes cantavam o Hino Nacional. Hoje eles cantam "tá toda meladinha".
A banda cantou na escola músicas de muitos valores morais que as escolas realmente precisam ensinar a nossa juventude (Ao citar Nossa Juventude, não faço nenhuma referencia a alguma banda de pagode). Entre elas estão "Quando eu meter você vai se jogar", "toma danada" e "chore na minha". "Tô panhando certo" também fez parte do respeitável repertório, causando uma situação hilária e deprimente, onde mais um aluno fardado aparece com os dançarinos da banda dançando coreografias oriundas de relações sexuais classificadas popularmente como selvagens. Pelo título da música, dá pra imaginar a coreografia. Quem tá dançando até pula para enfatizar a força da suposta panhada. Olhe só os 20 primeiros segundos desse video e você vai ver a coreografia ensinada na escola.


Outra música muito marcante nesse dia supostamente letivo da escola, foi "Tá toda meladinha". Mais uma vez, aparece um aluno dançando, executando muito bem aquelas coreografias aterrorizantes, levantando a camisa pra mostrar o corpo enquanto mexe a bunda e, na hora em que a letra da música fala sobre "passar a língua" (sabe-se lá onde), ele coloca a língua pra fora de uma forma que lembra uma cobra antes de dar o bote, e fazendo aquela cara forçada de quem está tentando passar sensualidade. Por ter dançado bem (parece que, na concepção deles, dançar bem é executar esses passos que simulam uma relação sexual da forma que mais lembre-a), o estudante recebe o cumprimento do vocalista da banda em forma de um sonoro "Ééé, Miserê!".
Nesse show, por exemplo, além de cantar uma música com palavra de baixa calão, ele ainda desrespeita uma garota no final. Não sei porque as pessoas entenderam aquilo como um elogio.


A banda cantou também na escola, "Deixa eu botar no seu copinho" (nem tentem imaginar a coreografia disso) e, pra finalizar, eles cantaram "Mama na minha", frase que lembra muito a música "Chupa aqui pra ver se sai leite". Pelo contexto italiano da música, era pra ser "Mama mia". Eles até foram criativos no trocadilho, mas a coreografia e outras partes da letra, tornam a música muito escrota.
Está mais do que claro que o Dizendo o que quer abre espaço para todas as pessoas, com todas as opiniões, se expressarem e defenderem seu ponto de vista. Por isso eu convoco a todos que dêem sua opinião sobre esse absurdo. Convoco também os defensores do pagode a virem aqui e justificarem o porque que, numa escola pública da quinta a oitava série, onde estudam muitas crianças que estão passando por uma formação de valores e ainda adotando seus princípios, a visita de uma banda com músicas agressivas e baixas, não será prejudicial aos estudantes dessa escola.


GOSTOU DA POSTAGEM? ENTÃO TORNE-SE UM SEGUIDOR!
Em "Seguidores", embaixo de "Total de Visualizações de Página", clique em 
"Participar deste site". 


LEIA MAIS SOBRE PAGODE:

6 comentários:

  1. Intrigante mesmo esse ocorrido, concordo com tudo que você flou, mas chamar de criativo esse trocadilho eu já não concordo. Tenho um conceito totalmente diferente sobre o que é criatividade e com certeza não é aquilo, aquilo é "mente vazia". Meu velho, sabe porque o futbol no Brasil é bom? Por que não se ensina na Escola!

    ResponderExcluir
  2. Dizem que "mente vazia é oficina do diabo". Uma boa oficina, muitas vezes, tem que ser criativa. A criatividade é um grande diferencial de um negócio. É uma pena que eles usaram a criatividade para o mal, mas não deixou de ser criativo. Mas o final do seu comentário foi muito legal. Você disse TUDO de uma forma objetiva e engraçada. Essa do futebol eu nunca tinha ouvido não. rsrsrsrs! Aí está mais um exemplo de criatividade.

    ResponderExcluir
  3. Diego Parabéns pelo seu blog, viajei muito nele. Sou que nem você, critico abeça, mas com consciência. E é criatividade sim, muitas coisas são conquistadas pela criatividade, nó que curtimos um som verdadeiramente melhor, achamos isso uma merda, mas não deixamos de admirar a criatividade que exposta, a música "Liga da Justiça", é pura criatividade, amo a música boa, mas quem mais escreveria assim ? Renato russo com sua genialidade, Raul Seixas com suas loucuras, Lulu Santos com seu complexo músical, fazem muito melhores, é obvio, mas levar uma besteira, em forma de musica, e ganhar uma massa ? Sou torcedor do Vitória, mas o Bahia tem muito mais torcida, consegue leva a massa baiana pra torcer pra eles, o que dizer sobre isso ? "Ah, mas esse povo tem mente vazia". Mas conseguem ver diversão em uma merda. 10 pra essa postagem. Muito bom mesmo.

    ResponderExcluir
  4. Obrigado Israel! É como eu disse antes. Eles fazem um mal uso da criatividade. Até que a música "Liga da Justiça" dá pra levar. Ela não está agredindo ninguém, não tem baixaria (apesar do "FOGE mulher maravilha, FOGE com Super Man ser meio suspeito). Vlw pela nota da postagem. É muita gentileza da sua parte. Abraço!

    ResponderExcluir
  5. Mais uma bela postagem sobre as "músicas" de pagode e suas influências na sociedade. Onde as crianças deveriam estar tendo uma educação de qualidade, para formação de valores (como você mesmo disse), eles ainda encontram ajuda para disseminar cada vez mais essa influência negativa das letras de baixo calão, e o pior, no símbolo da educação, a escola.

    Eu acho lastimável esse tipo de atitude e concordo muito com a idéia do seu blog, de tentar criar algum senso crítico em relação a não só isso, mas em todos os problemas graves que nossa sociedade vive atualmente. Parabéns

    ResponderExcluir
  6. Obrigado Wellington, pelas congratulações. Eu, talvez iludido, tenho ainda o sonho de ver o povo brasileiro com um senso crítico apurado, debatendo temas como esse, de interesse de todos, ao invés de discutir qual celebridade se veste melhor ou com quem Gretchen tá namorando agora. Espero estar realmente contribuindo, nem que seja um pouquinho, pra essa melhora da população.

    ResponderExcluir

Google+ Followers

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...